FAQ

Sim. O controle de qualidade do produto manipulado é feito através de autoinspeções e auditorias externas para controlar os procedimentos de produção e rastreabilidade. A matéria prima utilizada na manipulação é adquirida dos mesmos distribuidores que fornecem para a indústria e sua qualidade, assim como a do produto acabado é comprovada por qualificação de distribuidores, avaliação cuidadosa de laudos, confirmação dos dados por testes analíticos em laboratório de controle de qualidade interno e análises externas. Para que você esteja seguro da realização desses procedimentos é importante que conheça a farmácia e seus técnicos responsáveis.
 
É possível manipular qualquer medicamento?
 
Não. Existem alguns produtos que são patenteados pela indústria e que não estão disponíveis no mercado para a manipulação. A “lei das patentes” determina que a indústria que desenvolveu um determinado fármaco tem a exclusividade de comercialização deste produto durante vários anos, para que possa recuperar todo o investimento que fez em pesquisa. Neste período, nem as farmácias de manipulação nem outras indústrias tem acesso a esse medicamento. Decorrido este prazo, o produto entra em “domínio público” e pode então ser comercializado por todos.
 
O que é revestimento entérico?
 
O revestimento entérico é uma técnica utilizada para impedir que a cápsula se dissolva no estômago, fazendo com que os princípios ativos sejam liberados no intestino. Esta técnica é importante porque alguns medicamentos irritam o estômago ou sofrem a ação das enzimas digestivas do suco gástrico, sendo degradados por este.
 
É possível fazer medicamentos de liberação lenta na farmácia de manipulação?
 
Esta é uma técnica utilizada pela indústria para que os medicamentos sejam liberados de forma gradativa e constante durante algumas horas enquanto numa cápsula normal ele é liberado de uma só vez quando a cápsula se dissolve nos líquidos digestivos. As farmácias podem realizar essa composição, porém não tem condições de fazer testes de liberação e atestar o tempo de dissolução do fármaco.
 
Por que existem diferenças de preços entre as farmácias de manipulação?
 
O preço do medicamento manipulado não é controlado, cada farmácia pratica um preço de acordo com seus custos operacionais, impostos, gastos com assessorias técnicas e comerciais, n° de fórmulas/dia, política de lucros, às vezes a redução do preço pode indicar comprometimento da qualidade, por isso é importante conhecer, confiar na seriedade da farmácia e pesquisar entre as empresas que tem credibilidade no mercado.
 
A validade dos medicamentos manipulados é sempre pequena?
 
Não necessariamente, vai depender muito do veículo (base líquida ou sólida) em que o fármaco está sendo incorporado. Muitos tem realmente o prazo mais curto ou de uso extemporâneo ( tempo de duração da prescrição), porque, cada medicamento é individualizado, não existem lotes para serem efetuados testes de conservação, porém o prazo é determinado de acordo com a durabilidade dos componentes e das bases. O medicamento magistral é baseado em receita de prescritor médico, dentista, veterinário ou nutricionista e a duração ou repetição do tratamento devem ser indicadas por ele.
 
Por que, às vezes, o número de cápsulas não corresponde às que o médico receitou?
 
Isso ocorre porque a quantidade de princípio ativo que o médico prescreveu não cabe dentro de uma única cápsula, tendo que ser dividido em duas, três ou mais cápsulas. Quando isto ocorrer, tome o dobro ou o triplo da dosagem recomendada pelo seu médico, seguindo a orientação da farmácia, no rótulo.
 
Por que, às vezes, a cor e o tamanho das cápsulas muda para o mesmo medicamento?
 
Nem sempre existem cápsulas do mesmo tamanho e da mesma cor disponíveis no mercado ou a farmácia não padronizou a cor para determinado medicamento e, se fez às vezes terá que mudar para que o paciente tenha medicamentos diferentes com cores diferentes. Então o medicamento pode estar contido em cápsulas diferentes, o que não interfere na sua dosagem e no seu efeito.
 
Posso repetir a receita quando o medicamento acabar?
 
Somente se o médico anotar na receita “uso contínuo” ou “receita válida por X meses”. Mesmo as doenças crônicas (pressão alta, diabetes, problemas cardíacos, etc) precisam de acompanhamento médico . Por isso, procure o seu médico regularmente para avaliação do quadro clínico e para que ele emita uma nova receita (peça para ele anotar na receita por quanto tempo o remédio deve ser tomado). Caso contrário, a farmácia não deverá manipular o seu medicamento.
 
Posso recomendar o meu remédio para outra pessoa?
 
Não. Mesmo que o medicamento tenha feito bem para você jamais o indique para outra pessoa, pois ele foi formulado para o seu uso pessoal. Também não tome remédio por conta própria ou por indicação de amigos, parentes ou vizinhos. A automedicação pode trazer conseqüências bastante graves para sua saúde. Em alguns casos, medicamentos ou fitoterápicos que não necessitam de prescrição médica você pode obter as orientações necessárias com a (o) farmacêutica (o).
 
O que fazer quando tiver alguma dúvida em relação ao medicamento?
 
Procure primeiro o farmacêutico. Ele é profissional habilitado para orientá-lo corretamente. Se o problema for com o medicamento ele poderá resolver, caso contrário o encaminhará ao médico.
 
Posso consumir bebidas alcoólicas durante o tratamento?
 
Preferencialmente não. O álcool pode interferir no efeito ou na absorção de vários medicamentos, você pode obter informações específicas com a(o) farmacêutica(o).
 
Posso parar de tomar o medicamento quando me sentir melhor?
 
Não, somente pare de fazer uso do medicamento depois de decorrido o prazo estabelecido pelo seu médico, em alguns casos isso é imprescindível, em outros não, busque orientação médica ou farmacêutica.
 
Se a dor estiver forte, posso aumentar a dosagem?
 
Não, nunca altere a posologia ou a dosagem do seu medicamento sem autorização do seu médico.
 
Posso tomar um medicamento junto com outro?
 
Se você estiver tomando algum medicamento, avise o seu médico no ato da consulta. Se precisar de outra medicação durante o tratamento, avise o seu médico sobre o remédio que já está tomando. É muito importante que o médico ou o farmacêutico saibam de tudo que você está tomando, pois as interações podem alterar a ação dos fármacos e potencialmente perigosas.
× Solicite um orçamento